Belregard: Entre a Cruz e a Espada

Uma prece por todos

E como sempre temos que provar algo. Quantos mais “favores” colocando nossa vida em risco teremos que fazer para só depois sermos ouvidos? E será que algum dia seremos nós a cobrar que outros nos mostrem algum valor antes de escuta-los? Ao menos, admiro Anastasia que partiu para a guerra junto de seus homens e percebo que tenha que deixar minha ingenuidade de lado mais e mais a cada dia. Eu realmente achei que seria uma conversa rápida e iriamos embora, não é mesmo? Nunca é.

Também não me senti confortável em meio a guerra. Pude ver perfeitamente como meus companheiros abatiam soldados em golpes únicos e precisos e dentre eles eu era o único que as vezes precisava de um novo golpe. A parede de escudos se mostrou tentadora para mim, no entanto, eles não eram meus irmãos. As garras do leão sim, e um leão não seria tão eficiente sem uma de suas garras, certo?

Ainda assim percebo como meus companheiros estão inquietos. Eles ainda não se veem como algo realmente grande e vivo. Como uma unidade. Como um só. Bem, é sempre mais fácil na teoria.

Mas ainda assim eu peço que o senhor guie nossos passos e nossos corações. Nos mostre o que é certo. Nos torne fortes e nos una. Pois a cada dia vejo mais perigos a nossa frente do que quando chegamos ao forte. E temo que no futuro, o erro de um possa ser fatal para todos…

- Pietro tocava a própria barriga, no local onde havia sido esfaqueado meses atrás. E se levantava de sua prece, após novamente agradecer ao criador por mais um dia de vida, seu e de seus companheiros. -

Comments

jnsbmm andersoncronos5

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.