Presa do Leão

População: Aproximadamente 600 pessoas, podendo aumentar nos meses quentes, com um fluxo maior de mercadores. 

O forte era um dos muitos a pontilhar o território belicoso de Braden, desde a formação da castelania, ainda chamada Brandevir, quando Leoric apontou o rumo da guerra para Belghor. Ao longo dos séculos a Presa do Leão serviu como ponto de vigília das Terras Acidentadas, uma área rochosa e traiçoeira que sempre abrigou uma vida selvagem hostil, além de servir de refúgio para bandidos e degenerados exilados.

Nos últimos anos, com a situação caótica na qual se encontra a castelania, o forte se tornou um caminho para comerciantes que desejam chegar a Belghor ou a Birman, evitando os caminhos principais, normalmente marcados pelos sinais da guerra. Tibério, barão das Terras Acidentadas, mantém uma neutralidade dentro do conflito que ocorre em Braden, mas percebe que, a cada novo dia, o cerco se fecha e ele logo terá que escolher em que lado ficar. 

Construído em uma posição estratégica que favorece sua defesa, o forte encontra-se no topo de uma colina íngreme, com passagem plana apenas pelo portão frontal. Dispensando um fosso ou qualquer proteção do tipo, a localização do forte faz com as únicas maneiras de atacá-lo sejam armas de cerco com projéteis (como trabucos , manganelas e catapultas) ou pelo portão frontal, acessado por um caminho estreito com seis metros de largura.

Aproximando-se do forte, percebem facilmente seu passado militar: paredes com marcas de guerra destoando de seções da muralha reconstruídas, seções diferentes: umas mais antigas outras recém construídas e uma bandeira que tremula orgulhosamente no céu com o escudo do Forte e do Reino. Balistas e catapultas leves adornam os quatro cantos da fortificação, dormecidas e desacompanhadas de soldados, que vagam sonolentos de um lado para o outro na muralha. 

Com os dias de batalha agora no passado, o Forte serve atualmente de entreposto comercial, abrigando viajantes de diversos tipos, de comerciantes pacíficos a veteranos de guerra, orgulhosos dos feitos de outrora. Este clima de calmaria é tênue e frágil, já que todos sabem que a guerra logo chegará a eles também. Tibério tem evitado, mas os tambores e a trompas já se fazem ouvir no horizonte próximo. 
 

Presa do Leão

Belregard: Entre a Cruz e a Espada jnsbmm jnsbmm